Primeira vez no Chile

Primeira vez no Chile

22 de março de 2017
Destaque, Dicas de viagem

O Chile não faz fronteira com o Brasil. Mas fica ali pertinho e figura em várias publicações como um dos melhores lugares do mundo para conhecer. Para os brasileiros, um dos privilégios em relação ao país, é o vizinho de continente ser associado ao MERCOSUL. O que garante a eles alguns direitos, inclusive o de não ser obrigatório a apresentação do passaporte e nem visto, para entrar no país como turista.

Portanto se é sua primeira vez no Chile, VOCÊ NÃO PRECISA DE PASSAPORTE E NEM VISTO. Óbvio que ter o seu passaporte, principalmente em viagens internacionais, é super importante. Vai que rola algum problema mais sério. Depois é bem legal colecionar carimbos das suas viagens por ai.

Outra clássica questão sobre a primeira vez no país, é qual a melhor época para viajar. E a resposta é, depende. O Chile é um país muito extenso geograficamente, e há uma grande diversidade climática entre as suas regiões. Assim, a melhor época, depende do destino.

 No geral, a zona Central (Santiago) e o norte do Chile, são destinos considerados o ano todo. O inverno que normalmente vai de junho a agosto é temporada de esqui na região central e vulcões nevados no norte.

Em outubro as temperaturas começam a subir e até março o sul do Chile, em especial a Patagônia também pode ser considerado, já que esta bem mais acessível. Não recomendamos o inverno nessa região. Essa estação no sul do país é extremamente rigorosa e deve ser evitada.

Aqui na região do deserto de Atacama, muitos lugares também fecham entre o final de janeiro e inicio de março; em função do conhecido inverno boliviano ou altiplanico, quando ocorrem precipitações na montanha e algumas chuvas. O ápice do inverno, que ocorre no final de julho e início de agosto também não é muito interessante. Além do frio, alguns acessos, fecham em função da neve na estrada ou dentro dos próprios parques.

Quantos dias são necessários para conhecer o país, vai depender muito do seu roteiro. Até porque são 4.300km de extensão territorial. 05 dias úteis por região talvez seja um bom número, você não vai conhecer tudo, mas vai conseguir conhecer pelo menos os lugares mais visitados.

Quanto à moeda local, o Chile opera em CLP. E aqui, na maioria das vezes, você só vai conseguir pagar qualquer coisa em efetivo CLP, USD e cartão de credito (não se esqueça de habilitar seu cartão). Nós recomendamos que qualquer tipo de cambio, seja realizado no centro de Santiago, lá você vai conseguir as melhores cotações e seu dinheiro vai render bem mais.

Quanto à segurança, principalmente se comparado com o Brasil, o Chile é um país muito seguro. Claro que em Santiago, por exemplo, como qualquer cidade grande, tem que tomar certos cuidados. No metrô, por exemplo, furtam-se muitas carteiras e celulares. Mas nos geral, o país como um todo é super seguro e você não precisa ter receio em relação a sua segurança.

Falar pelo menos um pouco de espanhol para viajar para o Chile não é exatamente necessário, mas ajuda bastante. As pessoas por aqui, falam um espanhol extremamente acentuado e se utiliza de várias gírias locais na conversação.

No mais o deslocamento por aqui, não é nenhum desafio. Você pode optar por avião, ônibus, metrô, táxi, transfer e por ai vai. O transporte do país funciona. Em alguns lugares, melhor que em outros, mas no geral, simples, acessível e te leva em todos os lugares.

A diversidade de locais e lugares para conhecer por aqui também são infinitas. Vale à pena, ler algumas dicas de lugares específicos para decidir o que fazer em cada lugar.

No mais é só vir. Viajar troca a roupa da alma. E se, seu destino for o deserto de Atacama, não esquece que a gente está aqui, para tornar sua aventura ainda mais incrível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPT_BR
pt_BRPT_BR